Movimentos sociais desocupam sede do Incra após reivindicações (Foto: Divulgação / assessoria)Movimentos sociais desocupam sede do Incra após reivindicações (Foto: Divulgação / assessoria)

Depois de dois dias de ocupação da sede da Superintendência Regional do Incra em Sergipe, os movimentos sociais deixaram o local na tarde desta sexta-feira (10). Antes da desocupação, eles entregaram ao superintendente do órgão, André Bomfim, uma pauta com as principais reivindicações dos trabalhadores rurais assentados, acampados e quilombolas de Sergipe, solicitando que ele articule as demandas junto à Presidência Nacional do Incra.

saiba mais

Como principal item, os movimentos solicitaram a garantia de todas as políticas agrárias conquistadas e o imediato retorno do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA); e um plano para assentamento de todas as famílias acampadas no estado de Sergipe. Com relação às comunidades quilombolas, solicitam o reconhecimento de todas as que se autodenominam e implantação de políticas quilombolas, conforme decreto que garante as mesmas condições das famílias assentadas; além de um plano de demarcação de todas as áreas quilombolas; efetivação das políticas públicas conquistadas pelos povos quilombolas e retorno da mesa temática quilombola, com participação dos demais movimentos e as instituições governamentais.

Na pauta há ainda a solicitação da garantia de assistência técnica e regularização imediata dos contratos existentes e renovação através de edital público para os contratos vincendos e garantia de distribuição de alimentação para todas as famílias acampadas e quilombolas do estado de Sergipe. Assinam o documento protocolado no Incra a Via Campesina, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento Quilombola de Sergipe, Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Brasil (Conaq), Federação das Comunidades Quilombolas do Estado de Sergipe e Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA).

O superintendente do Incra em Sergipe, André Bomfim, recebeu as reivindicações apresentadas na pauta entregue pelos movimentos sociais, falou das dificuldades do momento atual para atendê-las, mas se comprometeu em encaminhar para a Presidência do órgão.

*Com informações da assessoria de imprensa


Leia mais no G1 Sergipe